top of page
André Randon sorrindo.

Ana Bolotinha
Uma História de Coragem Frente a Ansiedade

Logo branca, fundo dourado, escrita marrom escrita André Randon

O relato engraçado e importante de Ana Bolotinha desde antes

do nascimento e as influências do dia a dia na ansiedade.

Participação especial de grandes nomes da História.

"Ana Bolotinha é uma heroína corajosa que irá inspirar você a superar a ansiedade"

AGRADECIMENTOS

 

Agradeço aos anjos que não preciso nominar.

 

Vocês sabem que é para vocês.

 

Tanto os anjos da Terra quanto os do Céu que me ajudaram a chegar

até minha cama quando eu não conseguia ir sozinho.

1 Por Nascer

Nascerei. Já entendo as insinuações sobre ser o resultado de uma camisinha furada.

Me chamam de Ana (o mesmo nome de minha avó materna). O apelido é Bolotinha, porque é o fruto do carvalho...

Eu não ouço meus genitores falando, mas sinto a energia emitida.

Papai grita "PQP" e eu absorvo a raiva.

 

Da mesma forma, quando mamãe alisa a barriga e diz algo do tipo "amo você, linda", eu consigo sentir o amor, sem entender as palavras.

Além de compreender as vibrações e nuances de voz de quem está perto, percebo a liberação de hormônios e diversas outras químicas na placenta. Isso me afeta, como se eu estivesse tomando um banho de pimenta ou de chocolate.

E, é claro, prefiro os banhos de chocolate...

No ventre, os acontecimentos ao meu redor estão me formando e me afetarão por toda a vida.

2 Discórdia no Ventre Materno

 

Era uma tarde quente em Belo Horizonte e os pais da protagonista se encontravam sentados em um café na Avenida Amazonas, discutindo intensamente.

A mãe, Maria, grávida de sete meses, falava da bebê por nascer, enquanto o pai, Pedro, preocupado com o negócio de importação de tecidos, mal prestava atenção.

A conversa ficou cada vez mais acalorada e a química corporal de Maria começou a mudar, atingindo a placenta e o feto.

 

Bolotinha, no interior da mãe, podia sentir o estresse no ar.

 

"Por que brigam tanto? Será que é por minha causa?" pensou, triste e preocupada.

 

"Essa criança vai dar trabalho!", disse ele.

"Desejo para ela um futuro bom. Quero que tenha oportunidades, estudo, conforto…", respondeu a esposa.

Bolotinha sentiu um aperto no coração (já todo formado). Sabia quererem o melhor para a menina, mas a discussão a afetava profundamente.

 

Com o tempo, a inquietação piorou e continuou a influenciar aquela vida. Quando a personagem principal desta história finalmente nasceu, já estava impregnada pela atmosfera de desentendimento.

"Eu sinto que há algo errado, mas não sei o que é", pensou o inconsciente de Aninha, ainda uma criança.

 

Tempos depois, Ana descobriu que as dificuldades emocionais e de relacionamento estavam diretamente ligadas ao nervosismo que os genitores sentiram durante a gestação (claro que há diversas outras influências, mas esta foi fundamental).

Os hormônios da mãe e a tensão emocional do casal tiveram um impacto negativo na formação dela.

2 O Encontro Inesperado

 

Tarde ensolarada em Belo Horizonte e os pais da nossa protagonista discutiam acaloradamente numa lanchonete na avenida Afonso Pena.

A mãe, grávida de sete meses, falava da filha a nascer, enquanto o pai, focava no negócio de importação de celulares.

 

De repente, um homem elegante e bem-vestido se aproximou deles. Alberto Santos Dumont, o famoso aviador brasileiro chegava de Paris, onde havia feito voos bem-sucedidos em aeronaves inventadas por ele.

 

"Olá, olá, olá!" exclamou sorrindo. "Posso lanchar com vocês?"

 

O inventor percebeu a discussão e considerou ajudar de alguma forma. Os consortes ficaram surpresos, porém, concordaram em deixá-lo se sentar. 

 

Maria contou as incertezas acerca da herdeira.

Santos escutou atentamente e disse: "Entendo a preocupação, destarte, esta menina brilhará. Ela nascerá em um país se modernizando e avançando tecnologicamente. E, quem sabe, ela possa se tornar grande cientista ou inventora."

"Ah! Sabem do meu projeto atual? Máquina de café aéreo! Imagina só, tomar cafezinho voando! Seria incrível! No entanto, funciona mal, o líquido acaba caindo na minha cabeça!".

Pedro ficou impressionado. O aviador exalava simpatia.

 

Bolotinha experimentou conforto ao ouvir o encorajamento e os gracejos. "Uau, esse cara é hilário! Também quero ter senso de humor!".

O artífice continuava a contar histórias engraçadas e marido e esposa riam muito.

 

"Fique tranquila, querida", imaginou Ana consigo. "Sua história inspirará muitas pessoas."

 

O casal agradeceu ao aeronauta, sentindo-se mais esperançoso. Dumont seguiu, deixando ali otimismo e inspiração.

Passeando pela Praça da Estação, a personagem principal chutava a barriga materna, mostrando animação.

 

"Alberto estava certo", declarou Maria. "Você será uma mulher maravilhosa."

A partir daquele dia, esperança e confiança entraram na vida daquela família. E Ana experimentava como era bom viver.

Continua.

 

Clique no símbolo abaixo e siga meu Instagram para obter informações

sobre os próximos capítulos e sobre terapia por hipnose.

  • andre_randon_hipnoterapeuta

Deixe um cometário ou um ♥️ para eu saber que

está gostando e continuar a história.

Comentários (1)

andre98010964620
andre98010964620
Administrador
Apr 03, 2023

Olá.


Comente sobre quem deve ser o personagem famoso a interagir com Ana Bolotinha no próximo capítulo.


Fique a vontade para outros tipos de mensagens.


Gratidão.

Curtir
bottom of page